terça-feira, 2 de agosto de 2011

RESUMO DE PROJETO PARA O CONCURSO ARTE NA ESCOLA.

O Concurso Arte na Escola acontece anualmente, este ano é a primeira vez que tento participar, pena que só me informei no dia 31 de julho, último dia para inscrição. Acabei fazendo este relato rapidamente. O regulemento exigia um resumo com no máximo 6000 caracteres, foi o que tentei fazer e segue abaixo. Ainda bem que contei com uma leitura e rápida revisão da minha ilustre namorada.  Já havia relatado este trabalho no blog, mas agora, de forma mais metodológica, tento explicar para alguns amigos como são as minha aulas.

Projeto de artes visuais tendo como tema o Centro Histórico da Cidade de Resende.
Realizado em 2009 e 2010.

1.       INTRODUÇÃO

                O Colégio em que realizei o projeto possui apenas o Ensino Médio. Na rede estadual do Rio de Janeiro a disciplina de Arte é presente apenas no segundo ano, portanto, meu tempo com os alunos torna-se limitado e todos os programas de cursos devem ser bem enxutos. Com todas as turmas trabalho a História da Arte, inicialmente fazendo um resgate desde a arte rupestre, já que alguns alunos chegam a esta etapa sem nenhuma base sobre o desenvolvimento da história da arte. No entanto, direciono a maior parte do estudo na Arte Moderna, do período neoclássico em diante, já que este seria o foco principal para o ensino médio.  Partindo, pois, do estudo da história da arte são propostos  trabalhos teóricos e práticos.

  Através de uma votação na turma descubro qual linguagem visual esta pretende se dedicar, expondo algumas opções como: desenho, pintura, fotografia ou história em quadrinhos.  Nas turmas do projeto em questão, uma escolheu desenho e pintura e a outra, fotografia. O tema para o trabalho teórico e prático foi o mesmo para as duas turmas: o centro histórico da cidade, local que se desenvolveu no começo do século XIX,  com arquitetura predominantemente neoclássica.  A proposta do tema teve como ponto de partida a  ligação com a história da arte estudada e objetivou a valorização da arquitetura histórica da cidade, pouco preservada pelo poder público e pela exploração imobiliária. Muitos deles não sabiam que o verdadeiro centro da cidade fosse sua parte mais antiga, nem tão pouco o período histórico a que pertencia.
Pintura em tela, Aluno: Otávio, turma 2002*.

2.       PREPARAÇÃO

Para a realização do projeto foram necessários  estudos e trabalhos não só na sala de aula, mas no próprio centro histórico, distante uma média de 1k do colégio. Como cada turma escolheu uma linguagem diferente para abordar o tema, as aulas preparatórias e avaliações também foram diferentes.

Para a turma que escolheu a fotografia como linguagem, foi exposta uma sequência de slides e textos com a história da fotografia,  citando trabalhos e autores importantes como Nadar e Sebastião Salgado. Nesses slides também foram destacadas questões como composição visual, luz, cor e outros aspectos das linguagens visuais. Foi requisitado também um trabalho de pesquisa onde cada dupla deveria escolher um fotógrafo de destaque do meio artístico e apresentar um trabalho com textos e imagens sobre o mesmo. Que serviria de inspiração para o trabalho prático a seguir.

Para a turma que escolheu o desenho e a pintura como linguagem, além de conceitos sobre composição visual, cor, luz e sombra, técnicas e materiais para desenho e pintura, foram realizadas muitas aulas de perspectiva visual. Esta técnica foi abordada através de desenhos explicativos no quadro, de várias formas: paralela, oblíqua, aérea, além de exemplos de perspectiva em ladeiras, já que o local que seria registrado possui muitas.
Pintura em tela, turma: 2002*.

              3.       A EXECUÇÃO

Em fotografia, a turma foi dividida em grupos de quatro alunos, para que aqueles que não tivessem equipamento adequado também pudessem realizar o trabalho,  e para que todas as ruas e praças fossem bem  exploradas.  Contudo, a apresentação do trabalho foi individual e cada aluno teve que abordar seis temas referentes ao local: 1. a beleza, 2. o descaso, 3. a população local, 4. o abstrato dentro da paisagem,  5. a mescla entre o antigo e o novo, 6. a integração entre a natureza e o urbano.

Em desenho e pintura, foram realizadas aulas de desenhos de detalhes da arquitetura. Num primeiro momento foram feitos desenhos de observação de portas, janelas e fachadas. Na sequência, desenhos com casarios e perspectivas. A técnica utilizada foi grafite sobre papel. Por último, cada aluno escolheu um de seus estudos, que foi trabalhado  de forma mais completa, incluindo a cor. No colégio, estes estudos realizados in loco foram adaptados para pinturas em tela usando tintas à base de água.
Pintuta em tela, turma 2002*.

4.       A AVALIAÇÃO

A avaliação deste projeto foi feita através da assiduidade e interesse nas aulas, o que correspondeu à quantidade de estudos em desenhos e de fotografias, além da exploração das diversas potencialidades destas linguagens.  Em fotografia houve uma apresentação de slides de toda a produção, sendo justificadas e comentadas pelos autores e pela turma. Entre toda a produção digital de imagens, cada aluno escolheu uma foto para imprimir e expor no mural do colégio. Também houve uma exposição das telas decorrentes da produção em pintura. Em ambas as turmas  cada aluno fez uma auto avaliação que também foi acrescentada a sua nota final.
Pintura em tema, turma: 2002*

5.       CONCLUSÃO

Pela repercussão que a exposição destes trabalhos teve no colégio, inclusive tendo convites para realizar a exposição em outros locais, acredito que o trabalho foi bem sucedido. E principalmente pelo interesse que estas linguagens despertaram nos alunos, muitos deles mantiveram o interesse pela fotografia e outros descobriram no desenho e na pintura uma atividade lúdica, expressiva  e profissional.  É importante salientar também, de acordo com comentários dos próprios alunos, o surgimento de uma forma mais rica e dinâmica de observação da própria cidade. Despertaram mais interesse pelo valor do patrimônio histórico a partir de um conhecimento maior deste e de sua íntima relação com a História da Arte. Nas caminhadas, à procura de imagens, tiveram uma socialização com os moradores  e perderam o constrangimento de desenhar na rua ou fotografar, além de descobrirem situações ou locais inusitados, que antes consideravam banal. A interação com o meio ambiente explorado,  o suporte e inspiração dos artistas e as técnicas artísticas pesquisadas  foram, evidentemente, sintetizados na produção.  Cito o exemplo de uma aluna que, pesquisando a obra de Sebastião Salgado, resolveu fazer todas suas fotos em preto e branco, de acordo com o trabalho do artista. Portanto, considero um trabalho sólido e frutífero, uma vez que conseguiu valorizar o aspecto estético e social, ao mesmo tempo, produzindo imagens expressivas, cheias de significado para quem produz e quem observa.
*O nome completo dos alunos-autores será acrescentado em breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário